O mundo das Abelhas

3Recompensas
×1

As abelhas e o bicho-da-seda são uns dos poucos insetos que foram domesticados. Das abelhas se obtém o mel, a cera, a geleia real e a própolis.

As abelhas são um exemplo de organização piramidal, onde o expoente máximo, a rainha, reina de maneira absoluta, e os zangões têm uma única função durante toda a sua vida: servir como reprodutores das rainhas. Do outro lado estão as operárias, eternas trabalhadoras que vivem para satisfazer as necessidades da rainha e da colmeia. Veja curiosidades dessa organização piramidal:

 

1. Existem 16 mil espécies de abelhas. A maioria são insetos solitários e apenas 5% são sociais, sendo a abelha-europeia a mais comum. Em uma colméia podem existir até 80 mil operárias, 200 zangões e uma rainha. Um estudo comprovou que um único gene é responsável pela sociabilidade das abelhas.

2. Os zangões, as abelhas macho, só vivem para acasalar com a rainha. Se a colméia sofre de escassez de alimento, as operárias os expulsam.

3. Depois do acasalamento, os zangões morrem devido a uma ruptura do abdômen. O coito desprende o seu órgão genital, que fica dentro da rainha e serve como uma casinha para os espermatozóides. Dos ovos fecundados nascerão as operárias e dos não fecundados os zangões.

4. A rainha continua acasalando até reunir aproximadamente 700 milhões de espermatozóides de diferentes zangões (15 ou mais), e os usará ao longo de toda a sua vida (uns 5 anos). A rainha pode por até 1.500 ovos diariamente e exerce o seu controle sob as operárias por meio de um feromônio. É o ácido trans-9-ceto-2-decenoico, que é produzido nas glândulas da mandíbula que inibe o desenvolvimento de ovários nas operárias.

5. A rainha era considerada um rei até a década de 1960, quando o biólogo Jan Swammerdam dissecou uma espécime e comprovou que ela tinha ovários.

6. Pesquisadores australianos descobriram que abelhas têm a habilidade de reconhecer rostos humanos. Foram mostradas aos insetos fotografias em preto-e-branco e elas foram recompensadas pelos acertos.

7. Cientistas do Stealthy Insect Sensor Project treinaram abelhas para que elas consigam parar explosivos.

abeja-598x398

8. A palavra lua de mel é derivada de um antigo costume do norte da Europa em que os recém-casados tomavam um copo de aguamiel diariamente com mel fermentado durante um mês.

9. Quando Júlio César perguntou ao senador romano Paulus Romelius o segredo para a sua longevidade ao completar cem anos, ele respondeu: Interius, mellis; extrinsecum, oleum (por dentro, mel; por fora, azeite).

10. Durante a I Guerra Mundial, o mel era usado para tratar feridas dos soldados devido a sua capacidade de absorver a umidade, convertendo ela em um valioso agente terapêutico.

11. O mel nunca estraga, exceto quando o nível de umidade supera o 18%, que pode fazer com que ele fermente.

12. Mamangaba, uma espécie de abelha, tem a habilidade de estipular o tempo. Pesquisadores descobriram que elas conseguem calcular períodos de tempo entre duas recompensas de néctar, por exemplo.

13. Melittosphexburmensis, uma abelha conservada no âmbar que foi encontrada em uma mina no Mianmar, é a abelha mais velha conhecida pela ciência. Ela viveu há mais de 100 milhões de anos atrás.

14. Depois que finalizou os seus experimentos com ervilhas, Gregor Mendel começou a pesquisar a genética das abelhas. Infelizmente, elas eram tão agressivas que ele teve que abandonar as abelhas.

15. O zumbido das abelhas é gerado pelo movimento de suas asas, que batem até 11.400 vezes por minuto. As abelhas se deslocam em uma velocidade média de 22 km/h.

16. Em 1943, o zoólogo austríaco Karl von Frisch publicou um estudo sobre a dança que as abelhas operárias realizam para se comunicar com suas companheiras. Uma dança em círculo indica que a fonte de alimento está perto e uma dança em curvas significa que o alimento está longe.

17. As abelhas operárias possuem tarefas bastante delimitadas de acordo com a sua idade. Os três primeiros dias são como limpadoras, do terceiro ao décimo dia exercem a função de babá: suas glândulas mandibulares ficam ativas e produzem alimento para as larvas. A partir do décimo dia, as glândulas se atrofiam e as abdominais, que produzem cera, são ativadas, e se tornam construtoras. Do 16º ao 20º dia se encarregam de armazenar o pólen e o néctar que as outras operárias trazem para a colméia. A partir do 20º dia, elas se convertem em soldados que protegem a entrada e depois disso, por aproximadamente mais seis semanas, elas se transformam em abelhas de campo e buscam comida.

18. No vôo do translado espacial Challenger de abril de 1984, 3.300 abelhas recolhidas em um compartimento especial se adaptaram à falta de gravidade e construíram uma colméia quase igual às normais. Por outro lado, elas não conseguiram fazer suas necessidades físicas: já que as abelhas só fazem as necessidades fora da colméia, elas conseguiram aguentar durante uma semana. Um porta-voz da NASA disse que a colméia estava extremamente limpa.

19. Segundo a tradição, se uma abelha entra em sua casa, significa que você receberá uma visita, e se a mata, a visita não será agradável.

20. As abelhas não reconhecem a cor vermelha, mas conseguem perceber a luz infravermelha.

21. A principal diferença entre uma operária e uma rainha é a alimentação. As rainhas se alimentam de geleia real durante toda a sua fase larval. As operárias se alimentam disso somente nos primeiros três dias de vida. A geleia real é uma mistura de proteínas, açúcares, vitaminas, ARN, ADN e ácidos trans-10-hidroxidecenoico secretados pelas glândulas da mandíbula das operárias jovens.

22. Nas abelhas e nas vespas, o ovipositor se converteu em um ferrão e já não é utilizado para a colocação de ovos. É por isso que somente as fêmeas podem picar. No caso de algumas abelhas, uma das partes que compõe o ferrão, as lancetas, é cortadas e caso a abelha pique a pele humana, mesmo retirando o ferrão o veneno continua sendo bombeado para dentro da pele. Por isso que as vespas podem picar quantas vezes elas quiserem sem causar a morte delas.

C

23. A NASA está desenvolvendo foguetes que cujo sistema de navegação está baseado nas abelhas e nas libélulas.

24. Em 1956, o etimólogo brasileiro Warwick Kerr introduziu as abelhas africanas no Brasil para melhorar a qualidade das abelhas europeias. Pensou-se que a espécie tropical se adaptaria melhor. Em 1957, 26 rainhas africanas com suas operárias escaparam e se espalharam por todo o continente americano, inclusive os Estados Unidos, e se misturaram com a espécie europeia. A nova espécie tem diversas características das abelhas africanas, mas as rainhas nascem um dia antes que as europeias e se desenvolvem mais rapidamente. Mais agressivas que as abelhas europeias, elas oferecem um sério risco a populações e ao gado.

25. A abelha japonesa (A. ceranajaponica) elaborou uma tática de defesa eficaz contra vespas gigantes. Elas se lançam contra os inimigos e aumentam sua temperatura até 47ºC, o que é letal para eles.

26. Cada abelha percorre uma média de 7.200 flores e 40 km para produzir 5 gramas de mel. Um quilo de pólen possui 5 vezes mais proteína que a mesma quantidade de carne.

27. Os egípcios utilizam a própolis para embalsamar. Além disso, ela também era usada para cicatrizações, antibióticos e analgésicos.

28. O veneno da abelha possui uma atividade antibacteriana muito mais potente que qualquer antibiótico conhecido.

29. Sherlock Holms se dedicou à apicultura quando se aposentou como detetive.

30. Na apicultura, o veneno da abelha é utilizado como tratamento terapêutico. Os pacientes são picados com o veneno da abelha nos pontos da acumputura. Entretanto, não existem estudos conclusivos sobre a eficácia desse método. Além disso, corre-se o risco de causar uma reação alérgica.

DSC_0006-598x372

31. A abelha-europeia se converteu no quarto inseto a ter o genoma sequenciado, depois da Drosophila melanogaster, o mosquito da espécie Anophelesgambiae e o bicho-da-seda (Bombyxmori).

32. Quando o poder da rainha começa a diminuir ou o número de operárias é muito alto, não há substância da rainha suficiente para controlar as operárias e essas começam a construir uma nova célula somente para ela. Dessa forma, quando surgir uma nova rainha, podem acontecer duas coisas: as operárias podem matar a rainha mais velha, ou causar a formação de mais um grupo, cada um controlado por uma rainha. Geralmente, nesses casos, mais um reino é formado. Em raros casos, as operárias obrigam que as abelhas rainhas duelem até a morte.

33. Quando um outro inseto ou animal morre dentro da colméia e as operárias não conseguem tirá-lo de dentro, ele é embalsamado em própolis para que a sua decomposição não infecte todas as outras abelhas.

34. Quando está muito frio, as abelhas se reúnem no centro da colméia e começam a bater as asas rapidamente para aumentar a temperatura do interior. Quando está muito calor, elas ficam na entrada e batem as asas para que o ar quente saia.

35. Uma forma de obter mais geléia real é matando a rainha. As colméias que perdem inesperadamente a sua rainha começam a aumentar o tamanho de algumas células de operárias para que elas fiquem maiores e sejam alimentadas com geleia real.

jalea-real-598x407

 

36. Ao mudar o lugar de uma colméia durante o dia, mesmo que alguns metros, as abelhas que estavam fora não conseguem encontrar o caminho de volta. Por isso que as colméias devem ser mudadas de lugar durante a noite.

37. As células dos zangões são as maiores da colméia e ocupam a área periférica. Isso porque alguns estudiosos acreditam que eles possam também ter o papel das operárias de proteger e aquecer a colméia.

Denunciar conteúdo

2 comentários

Deixe seu comentário
Laiz Laizsilva300@gmail.com15 d Junho d 2015 a las 17:08 (UTC)
É muito interessante o mundo das abelhas, cheguei a conclusão que sem elas algumas frutas sem elas não sobreviriam.
Gustavo Medeiros Oliveira22 d Fevereiro d 2015 a las 14:00 (UTC)
Uma das sociedades mais organizadas é a sociedade das abelhas!

Tem algo a dizer? Esse é seu momento.

Se quer receber notificações de todos os novos comentários, deve entrar no Beevoz com o seu utilizador. Para isso deve estar registado.